terça-feira, 31 de maio de 2016

quando a justiça chega...

Uma das minhas paixões é a rádio.

Oiço frequentemente e, quase sempre adormeço com uma estação sintonizada, com "timer" activado para uma, duas horas e... adormeço.

Geralmente é a música a escolhida mas, por vezes até debates aprecio.

Uma destas últimas noites, passaram uma entrevistas, em aldeia transmontana, com residentes, mulheres, de uma certa idade.

Contava uma, que lembrando-se de uma vizinha, desgraçada no meio dos seus irmãos, e sendo a única mulher, foi sempre por eles explorada.

Até nas partilha, pelo morte dos país, herdou umas terras, lá no cimo do monte, que lhe calharam em sorte, mas que tudo leva a crer, seriam previamente destinadas a ela.

As terras não valiam nada, comparadas com as dos seus irmãos, cá no vale. Era uma zona ventosa e de rochas.

Eis quando, com esta coisa das eólicas, apareceu quem lhas comprasse por muito dinheiro.

Acaba então por dizer a narradora:
- "vejam como a vida acaba por fazer justiça!"

Sem comentários:

Enviar um comentário