terça-feira, 26 de julho de 2016

apontamentos desta hora

com posses e ilusões constroiem-se as nossas prisões.

livre é aquele que nada teme, nada tem e não quer ser outro alguém.

é tão difícil a perda como fácil é a compra.

tudo o que acumulamos, deixamos, mas sem ser na morte, lamentamos.

nascemos, e logo ali envelhecemos.

a lenha com que nos queimamos, juntá-mo-la durante anos.

tornar a vida simples é a verdadeira sabedoria; uns só tarde a encontram.

todos os demónios são cobardes; escondem-se dentro de nós.

os anjos, nossos protectores; dão-nos crenças e dissabores.

a religião dá-nos a falsa imortalidade; vivemos no inferno da esperança.

a eternidade é difícil de compreender; onde não há princípio nem fim.

acreditamos num paraíso perfeito; mas tudo tem defeito.

quase nada na vida é urgente ou importante; salvo o próprio momento.

lmc




Sem comentários:

Enviar um comentário