quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

a última vaga


ao sabor dos ventos
corri os céus 
despertei o mar
criei auroras
no olhar

e na ilha dos amores
poisei no areal dos desejos
onde aguardo a última vaga.


3 comentários:

  1. muito bem! que a vaga venha suave...

    abraço

    ResponderEliminar
  2. Lindo poema! Todos temos uma espera em uma ilha em algum lugar...
    Que a tua espera seja tranquila, e a recompensa bela!
    Um terno abraço!

    ResponderEliminar
  3. Se o Poeta conjuga o verso e espera, da borda virá a certeza da esperança.

    Abraço

    ResponderEliminar