segunda-feira, 19 de março de 2018

o pintor-pastor


silhueta pincelada
em tons pastel
de suaves sombras
e luz no olhar.
(da cor do mel)

em lençois de linho
deitada 
pelos desejos
por vezes
levada 
a afagar o destino.

(lembra as estrelas 
a centilar 
na noite profunda.)

e a chama-paixão 
caíada das madrugadas
searas na mão
e cabelos 
ondulados ao vento.

toda a paleta de cores
entre céu e mar
assim
a repousar
num quadro a inventar.

e todas as manhãs
ao despertar
varre-se a solidão
que houve ao deitar.

LM_19.mar.2018




Sem comentários:

Enviar um comentário