domingo, 27 de maio de 2018

memórias externas


Guardei a vida inteira coisas 
que nenhuma utilidade lhe dei, 
mas as memórias que elas me trazem, 
servem para momentos que recordarei.
Têm essa função, 
e olho-as como se de mim fizessem parte.
Colam-se à pele, e a minha história, sem elas, 
seria vazia de contexto e modelação.

......

“aceite o que não pode mudar, mude o que não pode aceitar”!

confuso e dá que pensar.
se não, vejamos:
como se pode mudar o que não se  aceita, quando se aceita o que não se pode mudar?
contraditório, isso sim.
o melhor é deixar as coisas como são, e esquecer estas "máximas"
que a nada levarão.

lm_27.mai.2018

Sem comentários:

Enviar um comentário